História em Quadrinhos (HQs) no ensino de Física

Já não é novidade o uso de Histórias em quadrinhos (HQs) no ensino de ciência, muitos já conhecem as tirinhas de física de Luisa Daou e Francisco Caruso. Mas vale lembrar que as HQs já foram criticadas pelo Ministério da Educação, que em 1964, divulgou um estudo que acusava os quadrinhos de causar preguiça mental e desestimular o aprendizado e a leitura de livros. E, o preconceito que ainda existe com relação as HQs tiveram origem nesta época.

Acredito que HQs, tirinhas e ilustrações proporcionam o acesso ao conhecimento de uma forma agradável e divertida, permitindo ao leitor associar o aprendizado ao prazer. As HQs exercitam a criatividade e a imaginação que, aliadas ao conhecimento científico, ajudam a construir o pensamento intuitivo que a ciência exige.

A linguagem dinâmica das HQs e as tirinhas proporcionam uma maior interação e fixação do conteúdo abordado. Estas podem ser utilizadas tanto para introduzir um novo conteúdo como para fixá-lo.

Aqui no Efeito Joule estamos utilizando este recurso para introduzir conceitos, fenômenos físicos e personagens da ciência aos nossos leitores. Neste intuito criamos a série de tirinhas intitulada Vestibulário. Um exemplo é a tirinha de número 005 (Vestibulário: Estudando eletrização) que aborda o conteúdo de eletrização por atrito. Neste caso, queremos introduzir o conceito de eletrização por atrito que será explicado no texto sobre o assunto e fixado através de exercícios resolvidos. A tira traz um bom exemplo para este fenômeno físico e ajuda na fixação do conteúdo.

Na mesma série de tirinhas também pretendemos oferecer dicas para vestibulandos de uma maneira dinâmica e divertida. Um exemplo é a tirinha de número 007 (Vestibulário: O tempo é relativo, mas nem tanto!).  Nesta tira queremos reforçar que é necessário ficar atento a documentação e ao local de aplicação do vestibular para evitar problemas, como por exemplo, chegar atrasado no dia da prova. Esta tirinha ainda nos dá um link para o conteúdo de relatividade restrita com as últimas falas sobre tempo relativo.

Este recurso ainda possibilita criar o interesse à leitura nos jovens, que normalmente recusam-se a leituras mais extensas, proporcionando uma participação mais ativa na sala de aula. As HQs possibilitam ao estudante aumentar seu leque de meios de comunicação, incorporando a linguagem gráfica às linguagens oral e escrita.

É possível utilizar a linguagem das HQs com objetivos mais amplos que o simples entretenimento, transformando a HQ em um recurso paradidático.

Biografias

Livro: Guerra Dos Gibis
Autor: Gonçalo Junior
Editora Companhia das Letras

Livro: Como usar as histórias em quadrinhos na sala de aula
Autores: Angela Rama (Org.), Waldomiro Vergueiro (Org.)
Editora Contexto

Se você gostou, assine o blog e receba nossas atualizações por e-mail. Você também pode seguir o  Efeito Joule no Twitter ou no Facebook.