Novo sistema de ensino de física

Aplicações do efeito joule: chuveiro elétrico

Aqui no efeito joule temos uma série de textos com o titulo “aplicações do efeito joule”, continuando esta série veremos como funciona o chuveiro elétrico. Vimos no texto Efeito Joule que o chuveiro é um exemplo de aplicação deste fenômeno da eletricidade e agora veremos que seu funcionamento é bem simples.

Dentro do aparelho existe um resistor que está conectado a rede de energia. Quando abrimos a torneira, a água vai se acumulando dentro do chuveiro e, quando esta chega a certo nível, ela empurra um diafragma que serve como “chave” do chuveiro. O diafragma fecha a conexão entre o resistor e a rede de energia elétrica fazendo com que a corrente elétrica atravesse o resistor e o aqueça por efeito joule.

O calor liberado pelo resistor vai aquecendo a água que está ao seu redor, assim, a água que entra fria sai com uma temperatura bem mais agradável para o banho. Na maioria dos chuveiros elétricos temos duas ou mais opções de temperatura, normalmente identificadas como verão e inverno. Estas opções regulam a potência do chuveiro selecionando o pedaço de resistor que é ativado, ou seja, o pedaço de resistor que é percorrido pela corrente elétrica.

Na posição inverno só uma parte do resistor é percorrida pela corrente, assim, com um resistor menor, os elétrons sofrem um número maior de colisões aumentando a temperatura do resistor e conseqüentemente da água.

Já na posição verão, todo o resistor é conectado, assim, com mais espaço para os elétrons se moverem menor é número de colisões. Logo, a temperatura do resistor é menor e da água também.

Simples, não é mesmo? Não esqueça que o chuveiro é o grande vilão do gasto de energia elétrica em nossas residências. Posicione corretamente a chave de seleção de potência de seu chuveiro, no verão deixe em “verão”.

Se você gostou do blog, siga o Efeito Joule  Twitter, no Facebook ou receba as atualizações por e-mail.