Por que a Lua não cai na terra?


Isaac Newton analisou o movimento da lua e chegou a uma descrição perfeita, uma descrição que poderia ser utilizada tanto para os astros como para objetos menores na terra. Essa teoria é descrita em três leis, conhecidas como as leis de Newton.

A primeira Lei de Newton é a lei da Inércia: Na ausência de forças externas, um objeto em repouso permanece em repouso, e um objeto em movimento permanece em movimento.

Ao lado temos mais uma ilustração do amigo Tainan Rocha.

A segunda Lei de Newton ou princípio fundamental da dinâmica diz que, a força aplicada a um objeto é igual à massa do objeto vezes a aceleração.

A terceira Lei de Newton é a Lei da ação e reação: Se um objeto exerce uma força sobre outro objeto, este outro exerce uma força de mesma intensidade, de mesma direção e em sentido oposto.

Com estas três leis chega-se a Lei da Gravitação Universal. Que propõem que dois corpos, a uma distância d entre si, se atraem mutuamente com uma força que é proporcional à massa de cada um deles e inversamente proporcional ao quadrado da distância (d) que os separa.

Bem, sabemos que a lua descreve uma órbita quase que circular (na verdade é uma orbita eliptica, onde a Terra esta em um dos focos) em volta da Terra, e esta é atraída pelo campo gravitacional da Terra. Então, por que a lua não cai na Terra?

A força de atração gravitacional, do sistema Lua-Terra, gera uma aceleração centrípeta que aponta para o centro da Terra. Esta aceleração muda a direção da velocidade da Lua constantemente, mantendo-a tangente à órbita da Lua e é esta velocidade a responsável pela órbita da Lua ao redor da Terra.

Um exercício mental bem comum para exemplificar este caso é:

Imagine que você, estando no alto de uma montanha, pudesse jogar uma pedra que atingisse uma grande velocidade. Bem, a pedra cairia bem longe. Mas, e se você colocasse cada vez mais velocidade no lançamento? Bem, a pedra entraria em órbita quando chegasse a uma velocidade suficiente para isso.

Abaixo temos uma imagem comum para este exercício, a ilustração foi tirada do livro “Princípios Matemáticos da Filosofia Natural” de Isaac Newton e mostra um projétil atirado do alto de uma montanha.


Agora você já sabe que a Lua não cai na Terra porque sua velocidade a mantém em órbita, ou seja, a Lua tem um movimento de queda permanente.




Se você gostou, assine o blog e receba nossas atualizações por e-mail.  Você também pode curtir a nossa página no Facebook.  

Você também vai gostar de ler:

11 comentários:
  1. Oi, Vanks, eu li uma biografia ilustrada do Isaac Newton e já me tornei fã deste físico na hora. Interessante o artigo sobre o campo gravitacional da lua.

    Um grande abraço,
    Prof_Michel

    ResponderExcluir
  2. A hisótia de Newton é realmente atraente! Valeu pelo comentário, já coloquei o seu blog como parceiro do Efeito Joule.

    Abraços

    ResponderExcluir
  3. Boa tarde, gostei muito desse blog, amo física.
    Tenho uma sugestão, seria bom vocês da equipe do efeito joule, colocassem uma área só de experimentos.
    Obrigado pela atenção.

    ResponderExcluir
  4. lucimere de joinville 30 de marcço estou adorando estudar fisica e entender mais sobre sistema lunar e outros adoro

    ResponderExcluir
  5. Muito Obrigado pela a dúvida , hoje eu tava tendo aula de velocidade centripeta e o professor deu esse exemplo da Porque a lua não cai na terra? ae ele falou das leis de newton e mais tarde disse que a força gravitacional da lua gera uma Acp que aponta para o centro da terra e sua velocidade matem em orbita ja que não existe forças na ausência de forças externas o objeto em velocidade pernamance em velocidade! :D showw de bola

    ResponderExcluir
  6. Bom dia!
    eu gostei do blog, e achei bem escrito. me esclareceu muitas coisas.
    Entretanto queria te dar um toque, em uma parte do texto voce diz que a Lua gira em torno da Terra em órbitas circulares. Só que, conforme a segunda lei de Kepler, a órbita é eliptica e a Terra estaria em um dos seus focos.

    Bom, é isso. Obrigada

    ResponderExcluir
  7. Bem lembrado, Carla! Já coloquei esta observação.
    Obrigado pelo comentário e volte quando puder!

    até mais

    ResponderExcluir
  8. Ainda continuo na dúvida sobre a razão da Terra não ser definitivamente atraida, ou repelida, pelo Sol. O que faz manter o equilíbrio entre a força centrípeta e a centrífuga? A Terra teve sorte de ter ficado exatamente no ponto de equilíbrio? Será que há uma tolerância no movimento, deixando a Terra ora sendo mais atraída e ora sendo mais repelida sem comprometer a órbita? Se há essa possibilidade de variação entre as duas forças, o que impede de uma delas se sobressair, colocando a órbita em estado de degradação irreversível? Ou será que o ponto de equilíbrio é absolutamente exato o tempo todo!?
    Essa história, pra mim, ainda não está bem explicada. Se alguém puder me esclarecer, ficarei imensamente agradecido.

    ResponderExcluir
  9. Ta bem feito mas não explica o que eu quero por isso não interessa nada

    ResponderExcluir
  10. Gostei do seu blog! Estou lendo o mundo de Sofia e na parte que fala do renascimento me deparei com muitas coisas que vi na escola, mas que precisei relembrar... Então vim aqui e encontrei explicações claras e simplificadas. Parabéns! Quando meus filhos começarem a estudar ciências, pe esse blog que indico.

    ResponderExcluir
  11. Que a lua não cai todo mundo sabe, agora dizer que força puxa para o centro da terra mas a lua faz de conta que não está nem aí e segue em frente já é demais.

    ResponderExcluir

Leia antes de comentar:

1 - Comentários ofensivos, escritos em CAIXA-ALTA, spam e similares serão deletados.
2 - O autor deste blog não se responsabiliza por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem as do autor do blog.