Cinemática: Variação de espaço e distância percorrida

Como vimos no texto sobre trajetória, é importante determinar a posição do móvel para o estudo da cinemática. Vamos ver outro exemplo e estudá-lo para entender o conceito de distância percorrida e variação de espaço na cinemática.

Os marcos quilométricos em uma rodovia tem a função de mostrar a localização dos veículos que ali trafegam. Se um carro está no espaço 20km não significa que este se deslocou 20 km, mas que a posição deste móvel é 20km. Agora, se este carro se desloca até o marco 100km, observamos que ele percorreu a distância de (100km – 20km = 80km) 80km. Esta é a distância percorrida pelo móvel e também sua variação de espaço.

A variação de espaço é definida como sendo a subtração do espaço final pelo espaço inicial do móvel ( ∆S = Sf – S0 ). Usamos o símbolo delta para variação e delta S para variação de espaço. No nosso exemplo temos 20km como sendo o espaço inicial e 100km como espaço final, logo, 80km será a variação de espaço.

Devemos tomar cuidado ao encontrar a variação de espaço para não confundi-la com distância percorrida, pois, em muitos exemplos estas podem ser diferentes.

Se, um móvel parte do espaço 20km, vai até o espaço 100km e volta para o espaço 60km. Qual será a sua variação de espaço e sua distância percorrida?

Bem, pela definição, temos como espaço final 60km, espaço inicial 20km e da subtração destes teremos 40km como variação de espaço.

Agora se formos analisar o quanto o móvel se deslocou teremos um valor maior, pois ele se deslocou 80km para chegar ao espaço 100km e mais 40km para retornar ao espaço 60km, totalizando (80km + 40km = 120km) 120km que será a distância percorrida pelo móvel.

Vemos então que distância percorrida significa o quanto o móvel andou e, variação de espaço é a subtração do espaço final pelo espaço inicial do móvel, dois conceitos diferentes.


Se você gostou do blog curta nossa página no Facebook ou receba as atualizações por e-mail.